ENXERTO ÓSSEO


O que é Enxerto Ósseo?

A manipulação de tecidos bucais para a estética e para possibilitar a colocação de implantes dentários é uma realidade cada vez mais cotidiana nas Clínicas Odontológicas mais avançadas.

 O enxerto ósseo é realizado para aumentar a altura e espessura do osso possibilitando a colocação de implantes dentais em pessoas que perderam seus dentes há muitos anos.

Atualmente existem 4 tipos de enxertos ósseos com resultados comprovados.

1. Enxertos Autógenos (Tecido ósseo próprio)

Algumas regiões da mandíbula podem fornecer tecido ósseo para pequenas reconstruções ósseas. Em casos de maiores reconstruções, é necessária a realização de uma cirurgia em centro cirúrgico hospitalar para retirada de um bloco ósseo de regiões como a crista ilíaca (bacia) ou calota craniana. Sua integração acontece em 6 a 9 meses.

Este tipo de enxerto gera desconforto razoável, por essa razão indicamos somente para grandes procedimentos.

2. Enxertos Homogêneos (Banco de Tecidos Humanos)

Os Bancos de Tecidos Humanos do processam tecido ósseo para Ortopedia medica e para Enxertos odontológicos. É um procedimento seguro e é cientificamente comprovada sua eficácia. Sua integração acontece em 6 a 9 meses.

Possibilita pequenas e grandes reconstruções ósseas com facilidade e conforto.

3. Enxertos Alógenos (Matriz óssea bovina)

A matriz óssea de origem sintética ou animal pode ser usada misturada ao tecido ósseo autógeno coletado ou isoladamente em situações como o preenchimento de cavidades, como no caso de extrações. Sua integração acontece em 9 a 12 meses.

4. Enxerto com BMP2 (Indutor de Células – Tronco)

A ciência vem buscando, cada vez mais, uma alternativa mais efetiva e de menor morbidade na reconstrução de estruturas ósseas perdidas. Através de um intenso trabalho de pesquisa na engenharia genética, conseguiram isolar a principal proteína para a regeneração óssea, a proteína morfogenética (BMP), e derivaram sinteticamente esse componente (rhbmp-2), também chamada proteína recombinante morfogenética tipo 2. Esta tem um grande potencial osteogênico, basicamente ela induz as células mesenquimais pluripotenciais (células-tronco), com capacidade para se diferenciarem em células produtoras de tecido ósseo ou vascular. São também agentes osteoindutores, sendo produzidas no interior de diferentes células e estocadas em elementos como plaquetas. Também podem ser considerados osteocondutores, pois agem como um arcabouço para o crescimento ósseo, sendo progressivamente substituídos pelo osso.

Enxerto Ósseo Levantamento Do Seio Maxilar – Sinus Lift

Procedimento simples para enxerto ósseo

Sinus Lift – Levantamento ou Elevação do seio maxilar

A cirurgia de Sinus lift ou levantamento do seio maxilar é um procedimento utilizado para enxerto quando não há osso na parte posterior do maxilar superior. Procedimento realizado em consultório odontológico por um especialista na área (Implantodontista, Cirurgião Buco Maxilo Facial ou Periodontista), sem a necessidade da internação do paciente, nem sequer, utilização de ambiente hospitalar para o procedimento.

O Objetivo da cirurgia é aumentar a quantidade óssea em altura para permitir a colocação de um implante dentário mais longo.

É realizado com uma pequena abertura na gengiva na região lateral do seio maxilar, em seguida é feito uma osteotomia para ter acesso ao seio maxilar do paciente, procedimento bastante delicado pois o operados deve realizar o descolamento da membrana sinusal para que enxerto tenha sucesso. No interior dessa abertura é inserida uma quantidade variável de material precursor de regeneração óssea. A cirurgia é rápida e normalmente não demora mais que 40 minutos com um cirurgião experiente.

Deve-se esperar um tempo entre 4 a 9 meses (a ser avaliado pelo cirurgião), para realização dos implantes porém pode-se realizar exames radiográficos antes para verificar o andamento da cicatrização.

Materiais utilizados em enxerto

Nos dias de hoje temos uma variedade de materiais que podem ser utilizados para enxertia do seio maxilar:

– osso liofilizado bovino
– osso autógeno (da própria pessoa)
– hidroxiapatita sintética (precursor ósseo)
– osso homólogo de banco de ossos (transplante ósseo)
– materiais vítreos sintéticos

Estudos mostram que todos os materiais são favoráveis para este tipo de enxerto, dependendo somente da preferência do cirurgião.

Perda óssea: possíveis causas

A falta de osso na região posterior de maxila pode ocorrer pela atrofia óssea decorrente da falta do dente, pnaumatização do seio maxilar, quando existem infecções na região periodontal, ou uma reabsorção devido a compressão de próteses removíveis, levando à perda óssea. Também pode haver perda óssea em casos de traumas fortes.

 

 

Maxilar Atrófica

É uma cirurgia que consiste em colocação de bloco ósseo para ganho de espessura no maxilar atrofiado, esses blocos podem ser removidos do próprio paciente ou comprado de bancos de ossos, são colocados e estabilizados com parafusos específicos, aguardam-se de 6 a 9 meses para fazer a cirurgia de colocação dos implantes.